Curiosidades

Queijo de cabra

Desde os primórdios da descoberta do arquipélago que a Ilha do Boa Vista foi utilizada para criação de gado, sobretudo de cabras, cuja carne e as peles juntamente com o sal, foram durante várias décadas produtos para abastecimento dos barcos que aportavam às ilhas transportando escravos para o Brasil, e para comércio com a Europa.

Segundo narram os documentos da época, na ilha não havia produção agrícola, a não ser de algodão. O milho e o feijão para o sustento da população vinham de Santiago. Sendo a ilha
bastante pobre, o aproveitamento do leite das cabras para a produção artesanal do queijo, foi um dos meios encontrados pela população rural para tirar algum proveito e melhorar o seu pecúlio.

O queijo de cabra é um queijo produzido com leite cru a que se junta coalho e deixa-se durante 48 horas a uma temperatura suficiente para coalhar. Depois o coalho é escorrido num recipiente próprio e posto em pequenas formas que antigamente eram confeccionadas com fibra de palmeira. Depois de escorrer o soro todo, o queijo pode ser degustado fresco.

Também pode ser seco, ficando ao ar livre por 72 horas ou mais. Na culinária cabo-verdiana o queijo é servido ao pequeno-almoço como fonte de proteínas, em sobremesa, às fatias, acompanhado com doce de papaia, marmelada ou goiabada, ou então em forma de pudim de queijo, uma especialidade da cozinha de Cabo Verde.

Tartarugas Caretta Caretta

Cabo Verde tem a 3ª maior população de nidificação do mundo de tartarugas cabeçudas (Caretta Caretta), sendo a Boa Vista a ilha mais importante para a reprodução desta espécie ameaçada de extinção.

As praias de Boa Esperança, no norte,e de Ervatão e Ponta Cosme no sudeste, são os locais de eleição para actividades de observação de tartarugas.

São lugares favoritos para a nidificação das tartarugas.

Uma estação internacional de pesquisa científica e conservação da tartaruga Caretta Caretta fica situado na praia de Ervatão e João Barrosa.

O Landú, canto-dança da Boavista

De acordo com o escritor António Germano Lima, o canto-dança landú da Ilha da Boavista é uma representação simbólica, de origem ritualista, através da qual os dançantes, a anteceder a primeira noite de núpcias, transportam-se sugestivamente para um jogo sexual, como que a provar para toda a comunidade a virilidade do homem e a fertilidade da mulher.

Alguns autores comentam pelos seus blogs, que este género foi trazido para Boa Vista “se acomodou a um espaço bem específico, a sala do baile matrimonial, e a um momento próprio, meia-noite, hora em que os recém-casados devem recolher-se aos aposentos nupciais”.

Morna – Género musical considerada a voz da alma Cabo-verdiana

Considerada um símbolo nacional e candidata a património imaterial da humanidade,muitos afirmam que a morna nasceu na ilha da Boa Vista.

Tradicionalmente tocada com instrumentos acústicos, a morna reflecte a realidade insular do povo de Cabo Verde,o romantismo dos seus trovadores e o amor à terra.

A temática da morna é variada, o amor, a partida para o estrangeiro, o regresso, a saudade, o amor à pátria, o mar, entre outros.

Na Boa Vista,a morna encontra a sua variante mais antiga e caracteriza-se por ter um andamento mais rápido e um estilo próprio. A Morna tradicional da Boa Vista retrata situações jocosas, sátiras ou críticas sociais. A acentuação melódica é muito parecida com o landú.

BALEIAS

Até o momento,Cabo Verde é a única zona de cria conhecida para baleia de bossa (Megaptera novaeangliae) no Nordeste do Oceano Atlântico.

Dados históricos indicam que Cabo Verde foi uma importante área baleeira.As baleias de bossa e os cachalotes (Physeter macrocephalus) foram as principais espécies-alvo capturados pelos navios baleeiros dos EUA.

Acosta oeste de Boa Vista (de Ponta do Sol a Lacacão) tem sido reconhecida como o mais importante habitat e berçário da espécie no arquipélago.E segundo os ambientalistas,a zona do Porto de Sal Rei é tida como uma espécie de maternidade das baleias de bossa,que normalmente entram na fase de acasalamento em Cabo Verde entre os meses de Abril e Maio.

Neste período facilmente se pode observar baleias nas águas costeiras pouco profundas.Um excelente espectáculo da natureza.

Igreja de Fátima

Actualmente, perto da rotchinha, podem ser visitadas as ruínas da residência da casa de David Ben´oliel (praia David) e a igreja de Fátima,mandada construir para a esposa de David Ben´Oliel,que era católico.

Naquele tempo,no dia 13 de Maio de cada ano,era habitual pessoas de toda a ilha,crentes em Nossa Senhora de Fátima,deslocarem até á capela para assistirem á missa,na presença dos Ben´Oliel.

A igreja ficava situada a frente da praia privada do Sr.David,conhecido de “Praia de David”situada na Zona de Fátima.

David Ben ´Oliel,de origem judia,filho de Abranham Ben ´Oliel,foi quem deu maior expressão a esta realidade conjuntural no século XX naquela ilha. Considerado o expoente máximo do comercio judeu,pois era detentor de um enorme poderio económico e social,extensivo a todo o arquipélago,que terá prosperado até 1950.

7 MARAVILHAS DA BOA VISTA

Abrilhantada pelos seus inúmeros postais de visita, a ilha da Boa Vista é com certeza um destino turístico único e que permite ao visitante gozar de uma experiência inigualável.

O Deserto de Viana foi o escolhido na categoria de dunas e corredores dunares e ficou entre as 7 Maravilhas de Cabo Verde.

A nível grutas, rochas, rochedos e ilhéus foi eleita a Buracona, uma gruta natural encravada nas rochas na praia da Varandinha. Essa gruta é rodeada também pelas águas do atlântico com o seu puro azul-turquesa.

Na categoria de montanhas,serras, falésias e ravinas a opção recaiu sobre a Rocha de Santo António.

Já na categoria de monumento natural de cariz vulcânico,hà a Rocha de Estância,situada junto à aldeia de Povoação Velha. Com os seus 357 metros de altura,constitui um dos relevos de maior destaque da ilha.Pelo seu valor paisagístico,da fauna e da flora.

A baía de Sal Rei foi escolhida para estar entre as 7 Maravilhas da Boa Vista, devido a sua riqueza da vida marinha e por ser um dos principais núcleos de reprodução do atlântico da baleia de bossa e de tartarugas marinhas.

A Reserva Natural da Tartaruga Marinha que engloba toda a costa virgem do Leste da ilha que vai de Ervatão a Curral Velho assumiu a categoria,paisagem ou áreas de interesse científico, endemismo vegetal ou animal intrínseco de Cabo Verde.

A paradisíaca Praia de Santa Mónica, com 18 quilómetros de extensão, encontra-se entre as 7 Maravilhas dessa ilha. A volta da praia é um areal a perder de vista, oferecendo aos turistas a experiência de se sentir único numa praia deserta e isolada.